FIM DA VIOLÊNCIA CONTRA AS MULHERES

FIM DA VIOLÊNCIA CONTRA AS MULHERES
WJDW

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

ELEONORA MENICUCCI-NOVA MINISTRA DA SECRETARIA DAS MULHERES




A lavrense Eleonora Menicucci, 60 anos, filha da D. Estela, irmã de Regina, Maria do Carmo, Beth e Paulo Agnaldo, e prima da prefeita de Lavras, Jussara Menicucci mereceu um espaço no Blog da Dilma, espaço oficial da virtual candidata a presidente da República pelo Partido dos Trabalhadores e do presidente Lula, ministra-chefe da Casa Civil Dilma Rousseff.

Em reportagem da revista “Isto é” foi citada como uma das 40 mulheres brasileiras que lutaram contra a ditadura militar e uma das companheiras de Dilma.

Eleonora é uma mulher com muitos títulos e convicções. Pós-doutorada em saúde pública pela Universidade de Milão, na Itália, e professora da Universidade Federal de São Paulo, ela está em plena campanha pela legalização do aborto. “Esse é um direito histórico das mulheres”, defende, lembrando que o aborto clandestino é a quarta causa de mortalidade materna no Brasil. “As mais vulneráveis são as mulheres pobres e negras, pois quem tem recursos procura clínicas especializadas.”

Mãe de dois filhos e avó de uma garota de dois anos, a própria Eleonora já passou pelo procedimento cirúrgico, durante os anos de chumbo.

Ela também sobreviveu a outra experiência cruel: ver a filha de apenas um ano e dez meses, nua, nas mãos de torturadores da Operação Bandeirantes (Oban), em junho de 1971.

Era um requinte de crueldade do “interrogatório” a que era submetida, entre choques elétricos, amarrada ao instrumento de tortura conhecido como cadeira-do-dragão.

Dias depois, a garota foi entregue à avó materna. Hoje, Maria vive em Nova York.

Egressa do movimento estudantil mineiro, Eleonora integrava a direção do Partido Operário Comunista (POC) e vivia clandestina em São Paulo, com o ex-marido Ricardo Prata (foto), quando foi presa.

Libertada em outubro de 1973, ela credita boa parte de sua formação à militância: “Tudo valeu a pena”.

2 comentários:

  1. Regina Bueno dos Santos8 de fevereiro de 2012 22:00

    Essa pobre mulher de Espirito está lutando com todas as forças para legalizar o aborto, é porque ela ja nasceu tem seus filhos e netos,como seria se perdesse um deles de forma cruel, qual seria sua atitude? porque da mesma forma ela esta querendo fazer com um ser endefeso que ainda não tem chance de lutar por si só,digo a essa senhora se tem amor a sua vida e da sua familia, não toque na menina dos olhos de Deus assim que a palavra nos ensina, porque não sabe a gravidade disso.Somente Deus tem direito de tirar a vida, da mesma forma que ELE soprou sobre essa pobre mulher, e que hj ela pode respirar.

    ResponderExcluir
  2. O que esperar de uma pessoa que foi guerrilheira e terrorista? Bom senso em questões que lidam com a vida de um ser humano indefeso? Você já leu a entrevista que ela concedeu há anos atrás? Leia e repasse.

    ResponderExcluir